11/2021 - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Show de estrelas!

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Quem é “O Cara” entre estes dois? Os dois, claro!



Quem vence na Arábia Saudita?

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2021 F1 ·


E aí, amantes dos autinhos, vamos para a vigésima primeira e penúltima etapa do Mundial de Fórmula-1? É a estreia do circuito de Gidá (o nome da segunda maior cidade da Arábia Saudita, que terá o maior edifício do mundo – a Torre do Reino – com um quilômetro de altura e 167 andares, é grafada nas mais diversas maneiras, mas preferimos escrever dessa forma), com uma pista urbana de altíssima velocidade. Poderíamos dizer que trata-se de um legítimo “corredor da morte”, pois o circuito é todo cercado de muros, sem áreas de escape.
No nosso Bolão, pequenas novidades em comparação ao bem disputado em 2020. A principal é que daremos mais importância ao primeiro lugar da corrida, passando de 25 para 30 pontos, justamente para separar mais do segundo colocado e realçar o “quem vence” do título do post. O desafio a cada prova não será mais somente com o Lewis Hamilton, que buscava o recorde de vitórias em 2020, e conseguiu, e o heptacampeonato (também conseguiu), a Ferrari, que chegava no ano passado ao seu milésimo GP e ao Kimi Raikkonen, que buscava o recorde de participação em corridas do Rubens Barrichello (também superou), mas com todos os pilotos, um em cada GP. As apostas devem ser colocadas nos comentários deste post (clicando em "Ler tudo" no fim do post) ou serem enviadas para o meu e-mail (danieldias10259@gmail.com) ou (diasaovolante@diasaovolante.com) até cinco minutos antes do início do treino de classificação. Boa sorte!  

Itens para Gidá:
Pole: sobrenome do piloto – 5 pontos
Vencedor: sobrenome do piloto - 30 pontos
Segundo: sobrenome do piloto – 20 pontos
Terceiro: sobrenome do piloto – 15 pontos
Quarto: sobrenome do piloto – 10 pontos
Quinto: sobrenome do piloto – 5 pontos
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: sobrenome do piloto -  15 pontos
Melhor volta da prova: 5 pontos
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – só o Max Verstappen pode ser campeão matematicamente na Arábia Saudita. Para isso, na conta mais simples, ele teria de vencer a corrida e o Lewis Hamilton chegar no máximo em sétimo. Então, quero saber se o holandês sai de Gidá com o título.
Gabaritar os cinco primeiros colocados da prova: 15 pontos
Acertar os cinco primeiros da prova fora de ordem: 5 pontos

Para acompanhar ao vivo todos os lances do GP da Arábia Saudita:
Sexta-feira: primeiro treino livre, 10h30min, segundo treino livre, 14h, ambos pelo BandSports.
Sábado: terceiro treino livre, 11h, pelo BandSports, classificação, 14h, na Band e pelo BandSports.
Domingo: corrida, 14h30min, na Band.



Morre o Sir Frank Williams

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


O Sir Francis Owen Garbatt Williams, ou simplesmente Frank Williams, morreu neste domingo “tranquilamente, enquanto dormia, ao lado de seus familiares” aos 79 anos de idade. A família não revelou as causas da morte. Frank Williams é um dos maiores nomes da Fórmula-1, tendo fundado uma das três equipes mais tradicionais da categoria, a Williams. As outras duas são a Ferrari e a McLaren, já que a Mercedes tem uma história completamente distinta (estava no início do Mundial, em 1950, mas voltou só em 2010, e a Red Bull é uma das jovens do grid. A história de Frank Williams na F-1 é muito rica. Quando comecei a assistir às corridas ao vivo, em 1972, o inglês tentava colocar seus carros na pista a duras penas. Não existia dinheiro para nada.
Frank foi levando a coisa aos “pontapés”, literalmente mendigando trocados para todo mundo, até que em 1977 se associou aos ricaços sauditas (mais precisamente, à família Bin Laden, o lado não bandido da turma) e transformou tudo. Ao lado do amigo Patrick Head, fundou oficialmente a Williams, fez um carro que era uma cópia descarada da Lotus campeã de 1978, com o ítalo-americano Mario Andretti, chamou o australiano Alan Jones e venceu o campeonato de 1980. Voltaria a repetir a dose em 1982, com o finlandês Keke Rosberg, com apenas uma vitória no ano, mas com uma regularidade impressionante.
Quando já era um dos grandes nomes da F-1, Frank sofreu um terrível acidente na estrada que liga o circuito de Paul Ricard a Marselha, na França, em março de 1986. O carro dirigido por Frank capotou várias vezes, deixando o inglês em estado crítico e paraplégico, para sempre. Esse fato mudou a vida de Frank e de Nelson Piquet em 1986. Já bicampeão, Piquet foi contratado por Frank no final de 1985 para ser o primeiro piloto da equipe, ao lado do inglês Nigel Mansell. Acontece que o posto de primeiro piloto fora prometido a Piquet só “de boca” pelo dirigente inglês.
Com um carro muito bem projetado por Head e com o motor Honda (o melhor da época), a Williams partiu para a temporada como a grande favorita. Porém, com Frank ainda no hospital, a equipe não honrou o posto de primeiro piloto de Piquet, passando a beneficiar o inglês Mansell. A temporada acabou sendo caótica para a Williams, com um piloto brigando contra o outro. Como resultado, o francês Alain Prost, que viria a ser tetracampeão pela Williams em 1993, levou o título, na última etapa do ano, na Austrália.
Frank Williams voltou ao comando da equipe na metade da temporada de 1986, em uma cadeira de rodas que o acompanharia pelo resto da vida. Quando ele chegou lá, o caos já estava armado com Piquet querendo matar Mansell e vice-versa. Ao ser perguntado por que não foi cobrar o posto prometido por Frank, Piquet disse uma das frases mais lembradas da F-1:

- Acompanhei todo o sacrifício do Frank para voltar a vida. Vendo depois ele em uma cadeira de rodas, com a mesma alegria de viver de sempre, simplesmente não pude lembrar do assunto. Meus problemas eram muito menores, e tratei de levar a briga contra o Nigel sozinho.

E Piquet acabou vencendo o Mundial no ano seguinte. Como “punição” por ter perdido um campeonato certo em 1986, a Honda retirou seus motores da Williams em 1988, passando a fornecer para a McLaren, além da Lotus. Começaria aí, uma das parcerias mais importantes da F-1, entre a McLaren e a Honda, que daria os três títulos a Ayrton Senna e colocaria a Williams em nova crise. A coisa só foi mudar na década seguinte, com uma nova parceria, com a Renault, e a contratação do mago projetista inglês Adrian Newey (atualmente, na Red Bull, depois de ter passado pela McLaren). Na nova situação, Frank chamou Mansell de volta, que acabaria sendo campeão em 1992 em carro sem concorrentes, apontado como o melhor projeto já feito na F-1, até hoje.
Frank sempre privilegiou a equipe sobre os pilotos, tanto que os poucos campeões pela equipe não demitidos ao final do ano foram Piquet, que pediu para sair, para a Lotus, e o canadense Jacques Villeneuve, em 1997, o último campeão pela equipe inglesa. Mansell foi campeão em 1992 e demitido em seguida, assim como Prost e o inglês Damon Hill, em 1996.
A Williams sempre foi muito ligada aos pilotos brasileiros. Além de Piquet e de Senna, que acabou morrendo em 1994 no seu “carro dos sonhos” – a Williams projeta por Newey -, a equipe inglesa teve ainda Antonio Pizzonia (2004 e 2005), Rubens Barrichello (2010 e 2011), Bruno Senna (2012) e Felipe Massa (2014 a 2017).
Frank e sua família estiveram no comando da Williams até 2020, quando a equipe foi vendida para o grupo de investimentos Dorilton Capital, que está tentando resgatar os dias de glória desde então.
Goodbye, Sir Frank Williams!



O Bolão depois do Catar

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2021 F1 ·


Ao lado do Lewis Hamilton, o Gabriel, o Professor e este que vos escreve ganharam a primeira corrida da Fórmula-1 no Catar. O André também foi bem, mas o Gabriel deu um passo decisivo para conquistar o tetra no Bolão, já passando dos mil pontos. E se liguem, o GP da Arábia Saudita já vem aí.

Parâmetros utilizados no GP da Catar:
Pole: Hamilton
Vencedor: Hamilton
Segundo: Verstappen
Terceiro: Alonso
Quarto: Perez
Quinto: Ocons
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: Mazepin
Melhor volta da prova: Verstappen
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – Em homenagem à histórica vitória de Hamilton no Brasil, quero saber em qual posição o heptacampeão termina no GP do Catar. Primeiro

Catar:
1) Gabriel Dias - 90 pontos
1) Daniel Dias - 90 pontos
1) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 90 pontos
4) André Borges - 75 pontos
4) Maurício Dias - 75 pontos
6) Natanael Felipe Rhoden - 70 pontos
6) Francisco Cavalin - 70 pontos
6) Daniel Cardoso - 70 pontos
9) Luiz Herrera - 60 pontos
10) Mauro - 25 pontos
11) Ismael Reichert - 20 pontos

Total:
1) Gabriel Dias – 1.020 pontos
2) André Borges - 940 pontos
3) Natanael Felipe Rhoden - 855 pontos
4) Francisco Cavalin - 815 pontos
5) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 800 pontos
6) Luiz Herrera - 765 pontos
7) Mauro - 730 pontos
8) Ismael Reichert - 660 pontos
9) Maurício Dias - 615 pontos
9) Daniel Dias - 615 pontos
11) Daniel Cardoso - 585 pontos
12) Pedro Henrique - 420 pontos
13) Eduardo Saraiva - 320 pontos
14) Marcelo Pereira - 165 pontos



Hamilton vence no Catar

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·




Com uma corrida segura e “marcando” sempre as paradas de box de Max Verstappen, Lewis Hamilton venceu neste domingo o GP do Catar de ponta a ponta, diminuindo sua desvantagem no Mundial de Fórmula-1 para oito pontos ante o piloto da Red Bull. O primeiro GP no circuito de Losail foi monótono principalmente em comparação à eletrizante corrida de Interlagos, disputada na semana passada. Foi a centésima segunda vitória de Hamilton, que agora partirá à caça de seu oitavo título nas duas provas finais do campeonato, na Arábia Saudita, dia 5 de dezembro, e em Abu Dhabi, no domingo seguinte.
Verstappen e Valtteri Bottas foram punidos no treino de classificação de sábado, caindo para a sétima e a sexta posições no grid, respectivamente. Os comissários de pista consideraram que os dois pilotos não respeitaram a bandeira amarela no finalzinho do Q3. Na corrida, cada um partiu em direção contrária. Enquanto Verstappen completou a primeira volta já em quarto, Bottas caiu para décimo primeiro. E o dia seria ainda pior para o segundo piloto da Mercedes, que teve de desistir da prova com problemas mecânicos.
O grande nome da primeira corrida no Catar foi Fernando Alonso. O bicampeão fez uma prova muito consistente e terminou subindo ao pódio, em terceiro. Com 40 anos de idade, Alonso se tornou o piloto mais velho a ganhar uma posição no pódio na F-1.
A disputa pelo título da temporada deve ser dramática nas duas provas finais. No entanto, Verstappen tem a chance de ser campeão já no GP da Arábia Saudita. Para isso, na conta mais simples, bastaria o holandês vencer no circuito de Gidá e o inglês chegar no máximo em sétimo.

Resultado da Corrida:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1h24min28s471
2) M. Verstappen - Red Bull - a 25s743
3) F. Alonso - Alpine - a 59s457

4) S. Perez - Red Bull - a 1min02s306
5) E. Ocon - Alpine - a 1min20s570
6) L. Stroll - Aston Martin - a 1min21s274
7) C. Sainz Jr - Ferrari - a 1min21s911
8) C. Leclerc - Ferrari - a 1min23s126
9) L. Norris - McLaren - a uma volta
10) S. Vettel - Aston Martin - a uma volta

11) P. Gasly - Alpha Tauri - a uma volta
12) D. Ricciardo - McLaren - a uma volta
13) Y. Tsunoda - Alpha Tauri - a uma volta
14) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a uma volta
15) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a uma volta

16) M. Schumacher - Haas - a uma volta
17) G. Russell - Williams - a duas voltas
18) N. Mazepin - Haas - a duas voltas

19) N. Latifi - Williams - não completou
20) V. Bottas - Mercedes - não completou

Volta mais rápida - M. Verstappen - Red Bull - 1min23s196

Mundial de Pilotos 2021:
1) M. Verstappen - Red Bull - 351,5 pontos
2) L. Hamilton - Mercedes - 343,5 pontos
3) V. Bottas - Mercedes - 203 pontos
4) S. Perez - Red Bull - 190 pontos
5) L. Norris - McLaren - 153 pontos
6) C. Leclerc - Ferrari - 152 pontos
7) C. Sainz Jr - Ferrari - 145,5 pontos
8) D. Ricciardo - McLaren - 105 pontos
9) P. Gasly - Alpha Tauri - 92 pontos
10) F. Alonso - Alpine - 77 pontos
11) E. Ocon - Alpine - 60 pontos
12) S. Vettel - Aston Martin - 43 pontos
13) L. Stroll - Aston Martin - 34 pontos
14) Y. Tsunoda - Alpha Tauri - 20 pontos
15) G. Russell - Williams - 16 pontos
16) K. Raikkonen - Alfa Romeo - 10 pontos
17) N. Latifi - Williams - 7 pontos
18) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - 1 ponto
19) M. Schumacher - Haas - 0 ponto
20) R. Kubica - Alfa Romeo - 0 ponto
21) N. Mazepin - Haas - 0 ponto

Mundial de Construtores 2021:
1) Mercedes - 546,5 pontos
2) Red Bull - 541,5 pontos
3) Ferrari - 297,5 pontos
4) McLaren - 258 pontos
5) Alpine - 137 pontos
6) Alpha Tauri - 112 pontos
7) Aston Martin - 77 pontos
8) Williams - 23 pontos
9) Alfa Romeo - 11 pontos
10) Haas - 0 ponto



Hamilton brilha na pole no Catar

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·



Com três provas pela frente, Lewis Hamilton venceu de forma categórica o primeiro round no Catar neste sábado, fazendo a pole position (sua de número 102) com sobras sobre Max Verstappen, líder da temporada da Fórmula-1 com 14 pontos à frente do heptacampeão. Os dois oponentes da briga pelo título da temporada disseram depois do Q3 que as equipes e os pilotos pouco conhecem sobre os segredos da pista de Losail, mas a largada pode ter um detalhe decisivo: o lado direito da reta dos boxes é muito pouco utilizado, ficando com a areia vinda do deserto que cerca o autódromo. Com isso, Verstappen pode ter alguma dificuldade na largada do GP do Catar, previsto para as 11h (horário do Brasil) deste domingo. A prova será mostrada ao vivo pela Band canal aberto.

Resultado da Classificação:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1min20s827
2) M. Verstappen - Red Bull - a 0s455
3) V. Bottas - Mercedes - a 0s651
4) P. Gasly - Alpha Tauri - a 0s813
5) F. Alonso - Alpine - a 0s843
6) L. Norris - McLaren - a 0s904
7) C. Sainz Jr - Ferrari - a 1s013
8) Y. Tsunoda - Alpha Tauri - a 1s054
9) E. Ocon - Alpine - a 1s201
10) S. Vettel - Aston Martin - a 1s958

11) S. Perez - Red Bull
12) L. Stroll - Aston Martin
13) C. Leclerc - Ferrari
14) D. Ricciardo - McLaren
15) G. Russel - Williams

16) K. Raikkonen - Alfa Romeo
17) N. Latifi - Williams
18) A. Giovinazzi - Alfa Romeo
19) M. Schumacher - Haas
20) N. Mazepin - Haas



Bottas mais rápido no Catar

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Após a apoteótica atuação de Lewis Hamilton em Interlagos, ainda nesta semana, a Fórmula-1 teve seus primeiros treinos livres no estreante do calendário Losail, no Catar, nesta sexta-feira. E Valtteri Bottas manteve a Mercedes como a mais rápida. No primeiro treino, com luz natural, Max Verstappen tinha sido o mais rápido. Utilizada normalmente pela MotoGP, a pista de Losail foi largamente experimentada pelos pilotos da F-1 nesta sexta, com vários passando dos limites da pista. Por ser estreante na F-1, o circuito de Losail foi colocado pelos comissários como todas as saídas de curva como sendo excesso para os pilotos que ultrapassarem os limites.

Efeito colateral

Jurisprudência. Esse é o primeiro efeito colateral em consequência de a FIA não ter punido Verstappen por ter jogado Hamilton para fora da pista em Interlagos na quadragésima oitava volta do GP do Brasil, apesar de mais uma tentativa da Mercedes já em Losail. Charles Leclerc, da Ferrari, disse nesta sexta que se o Verstappen não fosse punido, “começarei a agir da mesma forma na pista”. Cada um é responsável pelo que faz, Dona FIA!

Segundo treino livre em Losail:
1 Bottas (FIN), Mercedes, 1:23:148
2 Gasly (FRA), AlphaTauri, a 0:209
3 Verstappen (HOL), Red Bull, a 0:350
4 Hamilton (ING), Mercedes, a 0:422
5 Norris (ING), McLaren, a 0:484
6 Stroll (CAN), Aston Martin, a 0:557
7 Tsunoda (JAP), AlphaTauri, a 0:587
8 Perez (MEX), Red Bull, a 0:639
9 Vettel (ALE), Aston Martin, a 0:872
10 Sainz Jr. (ESP), Ferrari, a 0:885
11 Ocon (FRA), Alpine, a 0:893
12 Alonso (ESP), Alpine, a 0:908
13 Leclerc (MON), Ferrari, 0:947
14 Ricciardo (AUS), McLaren, a 0:987
15 Raikkonen (FIN), Alfa Romeo, a 1:483
16 Russell (ING), Williams, a 1:806
17 Giovinazzi (ITA), Alfa Romeo, a 1:924
18 Latifi (CAN), Williams, a 2:061
19 Schumacher (ALE), Haas, a 2:427
20 Mazepin (RUS), Haas, sem tempo



O Bolão depois do show no Brasil

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2021 F1 ·


Meu Xará Cardoso anteviu o show que o Lewis Hamilton daria desde sexta-feira em Interlagos e também desfilou com a bandeira do Brasil ao lado do extra-terrestre Hamilton (como bem disse o narrador Sérgio Maurício). Durante a semana passada, quando saiu a notícia da punição de 5 posições do Hamilton pela troca do motor, recomendei a ele que refizesse suas apostas, pois ele estava colocando o Hamilton na pole, o que não poderia acontecer com a punição. O Xará refez e mandou um recado: “Pra corrida, mantenho o Hamilton como vencedor” Parabéns! Faltando três etapas para o final, o Gabriel abriu mais um pouquinho na liderança. Mas o jogo ainda não terminou, como diria o Hamilton.

Parâmetros utilizados no GP do Brasil:
Vencedor da mini corrida e pole da prova de domingo: Bottas
Segundo colocado da mini corrida: Verstappen
Terceiro colocado da mini corrida: Sainz Jr
Vencedor do GP do Brasil: Hamilton
Segundo: Verstappen
Terceiro: Bottas
Quarto: Perez
Quinto: Leclerc
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: Schumacher
Melhor volta da prova: Perez
Desafio: 10 pontos – o Fernando Alonso conquistou seus dois títulos em Interlagos, em 2005 e 2006, pela Renault. Então, quero saber em qual posição o Príncipe das Astúrias chega na corrida de domingo. Nono

Brasil:
1) Daniel Cardoso - 60 pontos
2) Eduardo Saraiva - 55 pontos
3) Maurício Dias - 35 pontos
4) Francisco Cavalin - 30 pontos
5) Mauro - 25 pontos
6) Luiz Herrera - 10 pontos
6) Ismael Reichert - 10 pontos
6) Natanael Felipe Rhoden - 10 pontos
6) Gabriel Dias - 10 pontos
10) Daniel Dias - 0 ponto
10) André Borges - 0 ponto
10) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 0 ponto

Total:
1) Gabriel Dias - 930 pontos
2) André Borges - 865 pontos
3) Natanael Felipe Rhoden - 785 pontos
4) Francisco Cavalin - 745 pontos
5) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 710 pontos
6) Luiz Herrera - 705 pontos
6) Mauro - 705 pontos
8) Ismael Reichert - 640 pontos
9) Maurício Dias - 540 pontos
10) Daniel Dias - 525 pontos
11) Daniel Cardoso - 515 pontos
12) Pedro Henrique - 420 pontos
13) Eduardo Saraiva - 320 pontos
14) Marcelo Pereira - 165 pontos



Quem vence no Catar?

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2021 F1 ·


E aí, amantes dos autinhos, vamos para a vigésima etapa do Mundial de Fórmula-1. Pois é, ainda tomando fôlego depois do show de Lewis Hamilton em Interlagos, já temos de encarar o primeiro GP do Catar. E como é estreia, não tem estatísticas para esta pista.
No nosso Bolão, pequenas novidades em comparação ao bem disputado em 2020. A principal é que daremos mais importância ao primeiro lugar da corrida, passando de 25 para 30 pontos, justamente para separar mais do segundo colocado e realçar o “quem vence” do título do post. O desafio a cada prova não será mais somente com o Lewis Hamilton, que buscava o recorde de vitórias em 2020, e conseguiu, e o heptacampeonato (também conseguiu), a Ferrari, que chegava no ano passado ao seu milésimo GP e ao Kimi Raikkonen, que buscava o recorde de participação em corridas do Rubens Barrichello (também superou), mas com todos os pilotos, um em cada GP. As apostas devem ser colocadas nos comentários deste post (clicando em "Ler tudo" no fim do post) ou serem enviadas para o meu e-mail (danieldias10259@gmail.com) ou (diasaovolante@diasaovolante.com) até cinco minutos antes do início do treino de classificação. Boa sorte!  

Itens para o Losail:
Pole: sobrenome do piloto – 5 pontos
Vencedor: sobrenome do piloto - 30 pontos
Segundo: sobrenome do piloto – 20 pontos
Terceiro: sobrenome do piloto – 15 pontos
Quarto: sobrenome do piloto – 10 pontos
Quinto: sobrenome do piloto – 5 pontos
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: sobrenome do piloto -  15 pontos
Melhor volta da prova: 5 pontos
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – Em homenagem à histórica vitória de Hamilton no Brasil, quero saber em qual posição o heptacampeão termina no GP do Catar.
Gabaritar os cinco primeiros colocados da prova: 15 pontos
Acertar os cinco primeiros da prova fora de ordem: 5 pontos

Para acompanhar ao vivo todos os lances do GP do Catar:
Sexta-feira: primeiro treino livre, 8h, segundo treino livre, 11h, ambos pelo BandSports.
Sábado: terceiro treino livre, 7h, pelo BandSports, classificação, 11h, na Band e pelo BandSports.
Domingo: corrida, 11h, na Band.



A maior das vitórias de Hamilton

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·









A centésima primeira vitória de Lewis Hamilton foi a maior dele na Fórmula-1 por uma série de motivos. E neste post de cobertura do GP do Brasil, ficarei somente com esses motivos, com a licença de vocês.

1 Porque o Hamilton venceu a FIA três vezes. A primeira foi pela desclassificação do treino de sexta-feira que o jogou para o último lugar do grid da mini corrida de sábado, terminando em quinto. A segunda foi a não punição a Max Verstappen quando o holandês jogou o Hamilton acintosamente para fora da pista na Curva do Lago. A terceira foi a não punição a Verstappen quando o holandês fez um zigue-zague na frente do Hamilton com uma distância de menos de um segundo. Isso é proibido.

2 Porque o Hamilton largou na décima posição na corrida principal e ultrapassou na pista todos os oito pilotos da frente, com exceção do Valtteri Bottas, claro, porque o companheiro de equipe abriu a porta obrigatoriamente.

3 Porque o Hamilton correu com a “faca entre os dentes” durante todo o fim de semana.

4 Porque o Hamilton derrotou a Red Bull dentro da pista. Pista essa que era claramente favorável ao carro da equipe austríaca.

5 Porque na perseguição a Verstappen, o Hamilton compensava “no braço” a superioridade do carro da Red Bull no grande miolo do circuito de Interlagos. Isso deu para perceber acompanhando a cronometragem naquele momento da prova.

6 Pelo reflexo impressionante do Hamilton ao tirar seu carro para fora da pista na Curva do Lago quando o Verstappen o jogou para fora. A maior prova disso é que o próprio Verstappen saiu da pista nesse momento, em uma manobra claramente desleal do piloto da Red Bull.

7 Porque o Hamilton mostrou todo o seu talento ao volante de um F-1 no Brasil, a terra de seu ídolo Ayrton Senna.

8 Porque o Hamilton repetiu o gesto de Senna levando a bandeira do Brasil dentro do carro depois de vencer
a corrida, como fez o Senna em 1993.

9 Porque o Hamilton fez voltar a bandeira do Brasil ao pódio da F-1.

10 Porque, em uma corrida favorável à inimiga Red Bull, o Hamilton conseguiu diminuir sua diferença no campeonato para Verstappen de 21 para 14 pontos.

E fecho em 10 itens porque o Hamilton simplesmente é nota 10. Por tudo o que ele fez neste domingo com relação ao Brasil, o Hamilton passa a ter dupla cidadania. O Hamilton é brasileiro e o Brasil está de volta à F-1. Confesso que fui às lágrimas ao ver todos esses gestos de carinho dele pelo Brasil. Mas certamente não estive sozinho nisso, o autódromo e milhões de brasileiros choraram neste domingo. O grande Reginaldo Leme também chorou ao final do GP do Brasil, revelação feita pelo narrador Sérgio Maurício, da Band. Aliás, o Sérgio está de parabéns também. Sua narração neste domingo foi histórica!
Lembro ainda uma frase dita por Hamilton depois de dar um show na mini corrida de sábado e que ficou registrada na nossa cobertura: "Ainda não terminou!" E não tinha terminado mesmo, grande campeão! Sua “sinfonia” em Interlagos estava apenas começando!

Resultado da corrida:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1h32min22s851
2) M. Verstappen - Red Bull - a 10s496
3) V. Bottas - Mercedes - a 13s576

4) S. Perez - Red Bull - a 39s940
5) C. Leclerc - Ferrari - a 49s517
6) C. Sainz Jr - Ferrari - a 51s820
7) P. Gasly - Alpha Tauri - a uma volta
8) E. Ocon - Alpine - a uma volta
9) F. Alonso - Alpine - a uma volta
10) L. Norris - McLaren - a uma volta

11) S. Vettel - Aston Martin - a uma volta
12) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a uma volta
13) G. Russell - Williams - a uma volta
14) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a uma volta
15) Y. Tsunoda - Alpha Tauri - a uma volta
16) N. Latifi - Williams - a uma volta
17) N. Mazepin - Haas - a duas voltas
18) M. Schumacher - Haas - a duas voltas

19) D. Ricciardo - McLaren - não completou
20) L. Stroll - Aston Martin - não completou

Volta mais rápida - S. Perez - Red Bull - 1min11s010

Mundial de Pilotos 2021:
1) M. Verstappen - Red Bull - 332,5 pontos
2) L. Hamilton - Mercedes - 318,5 pontos
3) V. Bottas - Mercedes - 203 pontos
4) S. Perez - Red Bull - 178 pontos
5) L. Norris - McLaren - 151 pontos
6) C. Leclerc - Ferrari - 148 pontos
7) C. Sainz Jr - Ferrari - 139,5 pontos
8) D. Ricciardo - McLaren - 105 pontos
9) P. Gasly - Alpha Tauri - 92 pontos
10) F. Alonso - Alpine - 62 pontos
11) E. Ocon - Alpine - 50 pontos
12) S. Vettel - Aston Martin - 42 pontos
13) L. Stroll - Aston Martin - 26 pontos
14) Y. Tsunoda - Alpha Tauri - 20 pontos
15) G. Russell - Williams - 16 pontos
16) K. Raikkonen - Alfa Romeo - 10 pontos
17) N. Latifi - Williams - 7 pontos
18) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - 1 ponto
19) M. Schumacher - Haas - 0 ponto
20) R. Kubica - Alfa Romeo - 0 ponto
21) N. Mazepin - Haas - 0 ponto

Mundial de Construtores 2021:
1) Mercedes - 521,5 pontos
2) Red Bull - 510,5 pontos
3) Ferrari - 287,5 pontos
4) McLaren - 256 pontos
5) Alpine - 112 pontos
6) Alpha Tauri - 112 pontos
7) Aston Martin - 68 pontos
8) Williams - 23 pontos
9) Alfa Romeo - 11 pontos
10) Haas - 0 ponto



Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal