Mercedes comete crime contra Hamilton - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Mercedes comete crime contra Hamilton

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·



Do céu ao inferno. Lewis Hamilton dominou tudo no GP da Malásia. Marcou a pole position com enorme facilidade. Eu disse no post da classificação, no sábado, que o tricampeão só não seria o vencedor da décima sexta etapa do Mundial de Fórmula-1 se tivéssemos uma corrida atípica ou se passasse um furacão sobre o circuito de Sepang. As duas coisas aconteceram. O furacão veio em forma de um motor estourado quando Hamilton liderava a corrida e se preparava para arrematar a conquista.
Indesculpável! Não tem o que a Mercedes possa fazer para reparar o tremendo prejuízo para Hamilton. Nos dias de hoje na F-1, um motor de uma equipe de ponta NÃO PODE ESTOURAR DO JEITO COMO ESTOUROU NESTE DOMINGO. NÃO PODE! Ponto! Vamos ao resto!
A corrida atípica começou a ser desenhada na largada, com Sebastian Vettel, da Ferrari, batendo na traseira de Nico Rosberg. Mas a corrida atípica só beneficiaria Hamilton. Seu companheiro caiu para a décima sétima posição na primeira volta. Depois, fez uma prova sensacional de recuperação, subindo para o Top Five da corrida. Mesmo assim, Hamilton recuperaria a liderança no campeonato. No entanto, tudo isso virou lenda, porque a Mercedes roubou o sonho do piloto do carro 44. Roubou! Estraçalhou!
Se Toto Wolff e Niki Lauda, os comandantes da equipe alemã, tivessem vergonha na cara não teriam ido para baixo do pódio após a prova para saudar o terceiro lugar de Rosberg, que coloca o alemão com uma vantagem de 23 pontos na liderança. Ou seja, a grande injustiça cometida contra Hamilton na Malásia praticamente decidiu o campeonato, com apenas cinco provas para o final.
Com o crime cometido contra Hamilton, a Red Bull acabou fazendo dobradinha em Sepang, com o australiano Daniel Ricciardo em primeiro e o holandês Max Verstappen em segundo. Claro que a equipe austríaca não tem nada a ver com a tragédia de Hamilton.
A briga pela vitória entre os pilotos da Red Bull aconteceu enquanto Hamilton ainda estava na liderança. Com uma tática de pit stop diferente, Verstappen chegou em seu companheiro e começou a travar a luta pela segunda posição. Naquele momento, Riccardo foi perfeito, porque resistiu ao ataque do companheiro com extrema competência, pois tinha pneus mais desgastados. Riccardo permaneceu na frente e se habilitou a vencer com a parada do inglês.
Antes, Rosberg forçou uma ultrapassagem sobre o finlandês Kimi Raikkonen no conjunto das curvas 1 e 2 de Sepang. O alemão bateu na Ferrari e entrou sob investigação pela direção de prova.  Rosberg realmente seria punido, em 10 segundos, mesmo assim abriu mais vantagem para cima do finlandês na parte final da corrida, garantindo o terceiro lugar no pódio.
Com o abandono, criminoso, de Hamilton, houve o acionamento do safety car virtual. A equipe Red Bull, para assegurar a dobradinha e colocar seus dois pilotos em mesmas condições de pneus, chamou a dupla para o box no mesmo momento. Com 10 voltas para a bandeirada, Verstappen ainda ensaiou uma aproximação sobre Ricciardo, mas se sossegou com o segundo lugar quando viu que o australiano não permitiria a ultrapassagem.
Parabéns, Red Bull, Daniel Ricciardo e Max Verstappen. Nota zero para a poderosa e incompetente Mercedes.
Felipe Massa largaria em 10 lugar, porém, teve problema com o acelerador antes da volta de apresentação. Largou dos boxes e só passeou na corrida. Com a batida na largada, Vettel ficou por ali mesmo, com a suspensão dianteira esquerda quebrada. Felipe Nasr, da Sauber, abandonou com problemas de freio.

Volta mais rápida - N. Rosberg - Mercedes - 1min36s424



Sem comentários

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal