O recomeço de Vettel - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

O recomeço de Vettel

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Sebastian Vettel viveu uma conjunção perfeita com a Red Bull, resultando em quatro títulos mundiais e o mesmo sinônimo de vitórias Lewis Hamilton e Mercedes. Tendo como certa a ida do ainda jovem piloto alemão para a Aston Martin (nome da Racing Point para a próxima temporada) em 2021, todos saem ganhando, pela ordem, necessariamente: Sebastian Vettel, Fórmula-1, Aston Martin, Família Stroll (sócia da nova equipe), Mercedes e Alemanha.

-Sebastian Vettel, porque estará livre dos italianos e dos insuportáveis críticos de plantão, que de uma hora para outra viraram expert em Vettel. Eles não sabem nada sobre o tetracampeão. O piloto alemão foi demitido por telefone pela Ferrari (a equipe italiana é mestre em fazer esse tipo de cagada, já fez isso com Niki Lauda, Clay Regazzoni, Alain Prost e Fernando Alonso, só para citar os nomes mais importantes), mas ele deixaria a equipe de qualquer maneira. Porque, se eu sei que a Ferrari voltou aos tempos pré-Jean Todt e Schumacher, o Vettel já sabia disso muito antes. O neófito Charles Leclec apressou a saída de Vettel da equipe? Sim. Então, que ele fique abraçado à nova bagunça chamada Scuderia Ferrari.

- Fórmula-1: porque a categoria, agora comandada pela supercompetente Liberty, continuará a ter um piloto jovem, tetracampeão, carismático e midiático.

- Aston Martin: a fabricante inglesa já está intimamente ligada ao alemão. Foi ele quem ajudou a desenvolver na prática o superesportivo “de rua” AM-RB 001 projetado pelo mago Adrian Newey. Ou seja, o Vettel estará novamente em casa, como sempre esteve na Red Bull.

- Família Stroll: como naturalmente sai Sergio Perez e fica o filho do dono, Lance Stroll, o piá canadense poderá brincar à vontade de Fórmual-1 e só aprenderá com o novo companheiro.

- Mercedes: é o motor da nova equipe e incontestavelmente a melhor “usina” da atualidade, até os japoneses acertarem definitivamente seu motor.

- Alemanha: o país da Mercedes escapa da sinuca de bico em que se embretou com a negativa da equipe comandada pela AMG de não levar o germânico Vettel para lá. No frigir dos ovos, Vettel finalmente correrá com uma máquina alemã, pela primeira vez na F-1.



2 comentários
Média dos votos: 125.0/5
Daniel Dias
2020-07-17 22:48:28
Opa, obrigado, Maurício. Tu tb estás há muito tempo neste negócio da F-1, e sabe reconhecer quem é quem. Aliás, respeito muito mais as opiniões de vcs aqui do Blog que as opiniões dos "comentaristas" brasileiros atuais da TV. Se juntar todos eles, não fica meio.
Maurício Dias
2020-07-17 22:23:50
Excelente reportagem Daniel. O Vettel merece maior respeito, dos " comentaristas " de F1. Torço pra tudo dar certo pra ele e ver Hamilton e Vettel correndo com o mesmo motor.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal