Max ultrapassa os limites - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Max ultrapassa os limites

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

O holandês Max Verstappen herdou a pior faceta do pai, o temperamento. Logo após o treino de classificação do GP do Bahrein, a jovem estrela da Formula-1 soltou o verbo contra Felipe Massa e o Brasil. Segundo Max, o piloto da Williams teria atrapalhado o início de sua volta rápida. Até aí, nada de grave, pois qualquer um pode ter sua versão sobre possíveis incidentes dentro da pista. O complemento da declaração de Max, no entanto, foi desastrosa e, possivelmente, tenha infringido alguma lei de preconceito entre países. Perguntado se falaria com Massa para cobrar pelo o ocorrido no treino, Max disse com todas as letras:
- Ele é brasileiro, então, não há muito o que falar!
No domingo depois da corrida, Massa sugeriu que o holandês tivesse cuidado com as palavras, "porque ele terá de ir ao Brasil para correr no fim do ano". Um dia depois, Verstappen usou sua conta no Instagram para se desculpar:
- Eu sinto que preciso explicar algumas declarações dadas depois do treino classificatório. Como um piloto apaixonado por correr, eu estava desapontado com minha última tentativa, e acabei reagindo de maneira emocional com  declarações que foram tiradas de contexto. De maneira alguma tive intenção de insultar o povo brasileiro, que tenho grande respeito e sempre me trata muito bem quando visito o Brasil. Aliás, um dos momentos mais altos da minha carreira foi o GP do Brasil do ano passado, e foi muito especial ter acontecido em um país que criou lendas como Senna, Fittipaldi e Piquet. Gostaria de me desculpar com todos os brasileiros que se sentiram ofendidos. Estou ansioso para correr no seu país novamente - postou.
Se observarmos o conteúdo da manifestação do piloto da Red Bull na rede social literalmente, veremos que ele não assume a culpa por completo, pois diz que suas declarações foram tiradas do contexto. Tá de brincadeira, né? Mas mesmo se o arrependimento de Verstappen for verdadeiro, o que ele disse no Bahrein é extremamente grave.
Assim como o pedido de desculpas público do ator José Mayer não anulou seu assédio sexual contra a figurinista Susllem Tonani, a retratação de Verstappen também não retira sua frase preconceituosa, pois, pelo menos naquele instante, ele de fato pensava assim.
A nova polêmica em torno do maior fenômeno atual da F-1 veio acompanhada de uma ação igualmente forte de seu avô paterno, Frans Verstappen. Preocupado com a má influência de Jos sobre o filho, o avô de Max decidiu pedir para que a equipe Red Bull blindasse seu piloto dos péssimos exemplos de seu próprio pai. Helmut Marko, consultor técnico da escuderia austríaca, escapou rapidamente da saia justa aconselhando que Frans resolvesse tudo em família.
Piloto medíocre nos anos 90, tendo sido inclusive companheiro de Michael Schumacher na Benetton, em 94, Jos Verstappen se notabilizou mesmo pelo temperamento irascível. Este gene parece ter passado para o filho Max, que, com apenas 19 anos de idade, já arrumou confusão com quase todos seus colegas na F-1.
A mais recente - não necessariamente a última - de Jos aconteceu no início deste mês. Embriagado, o ex-piloto de 45 anos armou o maior barraco dentro de uma danceteria na Holanda. Considerado culpado pela confusão, o ex-colega de Schumacher foi levado em um camburão para a delegacia.
Enquanto isto, o filho Max destila seu ódio para os brasileiros...
Com exceção do avô, os outros dois Verstappen são uns idiotas.



Sem comentários

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal