Hamilton e fogo em Sepang - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Hamilton e fogo em Sepang

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Os primeiros treinos livres com a pista de Sepang totalmente reasfaltada neste ano mostraram tempos bem mais baixos em comparação aos do ano passado e novos pontos de tangências de curvas, especialmente a última, localizada entre as duas grandes retas do circuito malaio. Aliás, para a água da chuva não ficar sobre a pista, essa curva foi praticamente refeita, ficando com uma inclinação negativa. Ou seja, a parte de fora é mais baixa, com os pilotos tendo necessariamente tomar a curva por fora, não mais por dentro como ocorria desde 1999, ano de estreia do GP da Malásia.
O agora vice-líder da temporada, Lewis Hamilton, da Mercedes, atacou forte na sessão da tarde em Kuala Lumpur, marcando 1min34s944, pouco mais de dois décimos de segundo mais rápido que seu companheiro de equipe Nico Rosberg, o melhor do treino da manhã. As Ferrari, sempre com o tetracampeão Sebastian Vettel è frente de Kimi Raikkonen, ficaram atrás das Mercedes nas duas sessões, à tarde, mais próximas da equipe prateada.
Os pneus utilizados neste ano na Malásia são os de cores amarela, branca e laranja, sendo o mais macio, e rápido, o amarelo. Os mesmos tipos de pneus para pista seca serão usados no GP do Japão, na próxima semana.
As coisas começaram quentes no primeiro dia de treinos livres na Malásia. Literalmente! No comecinho da sessão da manhã, a Renault de Kevin Magnussen pegou fogo no pit lane. Tão logo viu as chamas, o piloto dinamarquês bateu no cinto de segurança e se mandou correndo pela parte da frente do carro.
Incompetente para fazer um carro competitivo neste ano, a equipe francesa se revelou também incompetente para combater as chamas do carro, acompanhada dos olhares preocupados de todas as outras equipes nos boxes. O fogo voltou a ficar vivo por três vezes, apesar de os mecânicos e bombeiros terem gastado muito extintor no combate.
Pior mesmo, só o comentarista do Sportv, analisando o mau desempenho de Jolyon Palmer, com o outro carro da Renault, depois do reinício do treino:
- É difícil a vida de quem dirige um Renault.
Detalhe: a marca francesa é um dos patrocinadores da cobertura do canal por assinatura na Fórmula-1...
Quase 4 segundos separam o primeiro do último colocado na segunda sessão. Para uma pista longa como a de Sepang, essa diferença não é muito grande.



Sem comentários

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal