O Rei das Pistas - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Rei das Pistas

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


O arquiteto alemão Hermann Tilke, piloto nos anos 80, competindo inclusive em provas no antigo Nürburgring, o Nordschleife, Inferno Verde, tinha 44 anos quando projetou seu primeiro circuito para a Fórmula-1. Sepang, na Malásia foi inaugurado em 1999, com a vitória do irlandês Eddie Irvine, naquela prova em que o alemão Michael Schumacher lhe entregou a vitória a mando da equipe vermelha na luta pelo título do irlandês contra o finlandês Mika Hakkinen, da McLaren. Schumi tinha sofrido um grave acidente no GP da Inglaterra naquele ano e só voltaria no fim da temporada para ajudar Irvine.
Pois bem! Sepang, com 5,54 quilômetros de extensão, foi a primeira pista idealizada por Tilke, agora com 61 anos. Com 15 curvas e duas grandes retas em paralelo, separadas pela magnífica arquibancada dupla, sobreposta, a pista financiada pelo governo malaio e sua gigante petrolífera Petronas, atualmente patrocinadora da Mercedes de Lewis Hamilton e Nico Rosberg, é um circuito de verdade, tendo a maior largura (em toda a pista) entre todas as etapas do calendário da F-1.
Não é um circuito totalmente favorável à equipe prateada, apesar das duas grandes retas. Acontece que Sepang tem um miolo com curvas de todos os tipos, que podem muito bem ajudar na melhor aerodinâmica dos carros da Red Bull. No ano passado, a vitória ficou com Sebastian Vettel, com a Ferrari. Mas a decisão veio mais em função de uma tática mal escolhida pela Mercedes.
Tike, criticado por muitos e considerado genial por mim, é o Rei das Pistas. São dele todos os modernos circuitos da F-1. Vamos lá?
- Sakhir, Bahrein (2004)
- Xangai, China (2004)
- Istambul, Turquia (2005)
- Marina Bay, adaptação em um circuito de rua, iluminado artificialmente, Cingapura (2008)
- Valência, adaptação em um circuito de rua (2008)
- Yas Marina, Abu Dhabi (2009)
- Yeongam, Coreia do Sul (2010)
- Buddh, Índia (2011)
- Sochi, Rússia (2011)
- Circuito das Américas, EUA (2012)
- Baku, adaptação de um circuito de rua, Azerbaijão (2016)
O sujeito sabe, embora o nosso Natanael prefira tocar pedra na "Geni". Tá certo, por Cingapura, Valência, Coreia do Sul, Abu Dhabi, Rússia e redesenho de Hockenheim e Hermanos Rodriguez, o cara, o Tilke, deveria ser preso.



1 comentário
Média dos votos: 110.0/5
Natanael Felipe Rhoden
2016-09-29 17:51:03
Baku também é dele. Havia esquecido. Sorte a dele que ninguém bateu no trecho do castelo, de preferência na entrada, pra eu ver um engarrafamento tipo Assis Brasil as 6h da tarde. Claro que todos os cidadãos em suas atividades tem acertos e erros. Problema foi ele meter a mão na tradição de Hockenheim e México. A curva Peraltada está lá, mas o cara preferiu deixar de fora. Eu não acho o cara totalmente culpado, afinal lhe foi encomendado um trabalho e o mesmo foi aceito pela F1. Vovô Bernie só quis saber de $$$, aí enfiou a F1 em cada local no mundo e aos poucos vem acabando com as provas mais, digamos, tradicionais, exceto Monaco é claro, pois ele não vai terminar com a diversão dos endinheirados. A partir daí vieram esses circuitos novos, uns bem legais mesmo como Malásia, EUA, Turquia, Bahrein,China. Porém também deixaram elefantes brancos como India e Coréia do Sul. Enfim, cada um com sua visão sobre os serviços prestados pelo arquiteto.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal